sábado, junho 26, 2010

PÍNCARO


PÍNCARO

De repente ela havia ficado em dúvida entre a cama e a mesmice. E enquanto tremia de ansiedade e nervosismo e medo do desconhecido e intuição de alguma inesperada ameaça, foi deixando-se levar e levada descobriu que a cama era nuvens, e simplesmente abandonou-se a um mágico flutuar. Marejava gotículas orvalhadas de prazer e então parou de se intimidar e permitiu-se sedar e abrandar e acaridar e acirandar e trepidar e transbordar... Sonhadora, submergiu no lago da noite dos contos de fadas e não queria mais acordar.  Ofegante, subiu ao cimo de uma cumulus nimbus da qual não desejava mais sair, mas teve que descer. Quando voltou para a vida real, era peso de chumbo nos ombros e aperto no peito e a força da gravidade a grudá-la no chão que lhe faltava. Era ânsia e tremor no coração, e letargia e temor na mente, e a gravidade daquele enjôo e daqueles séculos de atraso. Foi assim, tremendo e temendo, que atravessou vazios como se estivesse despencando num abismo até o baque do tremendo susto: o teste gritava aos seus olhos o que a alma recusava-se a imaginar. Procurado, o príncipe virou sapo, e depois monstro ameaçador, e depois pessoa desaparecida. O rei que era todo desvelo pela princesa transfigurou-se num Gigante Adamastor e renegou-a. O lar de aconchego e segurança tornou-se ambiente inóspito e hostil. Quem disse que precisa sofrer e se acabar porque tudo vai mal e já não há amor e já não há proteção e já não há família e já não há lar? Quem disse? Chorou sim, rios de lágrimas que viraram mares de superações e de super ações. Pois se já não há lar, que se ouse alar. E foi sozinha mesmo, foi fora de casa mesmo, foi de abrigo em abrigo mesmo, de amigo em amigo mesmo, que transpôs quarenta luas de atávicos desejos e absolutas convicções e persistências para elevar-se à constelação das estrelas que brilham para sempre e encantam a vida da gente por serem mais que gente, mais que todo mundo, mais que todos os mundos e todas as luas, por serem simplesmente mais. Por serem simplesmente mães.

Oldney Lopes©

14 comentários:

Bia Unruh disse...

Belo texto, Oldney!
Adorei a metáfora e seu modo de escrevê-la!

Obrigada por sua vista!

Bjs
Bia Unruh

Flavia Assaife disse...

Oldney,

Um lindo texto. As mães são mesmo seres muito especiais. Abdicam de si mesmas em prol dos filhos...

Flávia Flor

orvalho do ceu disse...

Olá,
Obrigado por seguir-me, fiz o mesmo...
"QUEM DISSE QUE PRECISA SOFRER E SE ACABAR PORQUE TUDO VAI MAL E JÁ NÃO HÁ AMOR E JÁ NÃO HÁ PROTEÇÃO E JÁ NÃO HÁ FAMÍLIA E JÁ NÃO HÁ LAR? QUEM DISSE?
Gostei muito do que disse sobre isto...
Temos mesmo que nos acolher... nos amar para depois, sim, seguir nosso caminho em paz...
Abraços fraternos e harmonia pra vc!

Mila disse...

Olá Oldney!
Não tive o prazer ainda de ler-te, mas estou aqui agradecendo a visita e te seguindo.
Bjs meu lindo
Mila Lopes

Graziella disse...

Obrigada pela visita...
tbm to te seguindo...
bj

Escritora Pâmela Filipini disse...

olá, belos poemas e posias...

siga o meu blog...]
te espero lá...

Flavia Assaife disse...

Oldney

Passando apenas para lhe dar um grande beijo pelo dia do escritor, hoje 25/07.

Flávia Flor

orvalho do ceu disse...

Olá,
Tenha uma SURPREENDENTE E MARAVILHOSA primavera!!!
Excelente fim de semana!!!
Hoje ofereci a VOCÊ uma música especial... por seguir-me.
Abraços fraternais

orvalho do ceu disse...

CONVITE VIP
Olá, Oldney
Passa hoje em meu Blog... dia 01/10... e não teremos hora para acabar a festividade...
Oferecei um coquetel de 7 botões de rosa orvalhada...
Não falte, vai me fazer MUITO feliz e desejo fazer-lhe também.
Abraços fraternais

http://espiritual-idade.blogspot.com/

orvalho do ceu disse...

Olá, Oldney
Passo para agradecer a sua visita ao meu Blog, ofertar-lhe um selinho feito exclusivamente para meus seguidores pelas 30.000 visitas e dizer-lhe meu muito obrigada pelo carinho e amizade.
Nosso trabalho honesto como blogueiro(a) engrandece o nome do nosso Criador.
Tenha excelente fim de semana!!!
Bjs

Anderson disse...

olá Oldney, gostei muito do seu blog visite o meu blog:
andersonribeiro18.blogspot.com

Orvalho do Céu disse...

Olá,

" Das alturas orvalhem os céus,
E as nuvens que chovam justiça,
Que a terra se abra ao amor
E germine o Deus Salvador"...

Fico tão sem palavra para agradecer o carinho imensurável com que me cumula ao longo do ano que só posso lhe dizer que:
Seja muito abençoado e feliz, amigo!!!
Bjs de paz e FELIZ NATAL... apesar de qualquer vestígio de dor em seu coração....

"Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes,

e então saberás que eu me feri e também me curei."

Tagore

Liana Araújo disse...

Texto meramente maravilhoso...

Liana Araújo disse...

Texto meramente maravilhoso...

Oldney Lopes - Poeta

Minha foto
Mineiro, poeta, economiário, graduado em Letras, psicopedagogo, orientador de finanças pessoais.
Visite meu site: www.oldney.net