domingo, fevereiro 18, 2007

TIESPERO

Eu me apego à esperança de dares
Teu amor para o meu coração
E respiro, por todos os ares
Esse amor com paixão, compaixão

Pois espero me dês de presente
No presente um futuro de a-dois
Um amor pra viver loucamente
Nosso tempo diagora-e-depois

Tiamarei, miamarás todavida
Tiadorando o ficar-a-teulado
Declinando o caminho da lida:
O meu mais-que-perfeito passado.

Mas, incauta e insensível, conjugas
Com desdém o verbo nãotiquero
E, teimoso, ignoro tuas fugas,
E tiespero, tiespero, tiespero.

É assim que conjugo, sozinho
O infinito do verbo “tiamar”
Na primeira e única pessoa

Do mais-que-singular.


Oldney

Um comentário:

Neide disse...

Prefiro este verbo conjugado na 1ª pessoa do plural.
"tiamar" é um verbo para ser conjugado a dois.Tenho certeza que é bem conjugado por você.
Seus poemas são lindos!

Oldney Lopes - Poeta

Minha foto
Mineiro, poeta, economiário, graduado em Letras, psicopedagogo, orientador de finanças pessoais.
Visite meu site: www.oldney.net