segunda-feira, março 12, 2007

Sei que o sol irá se pôr. Que o tempo passa, invariavelmente. Que o anoitecer é inevitável. Todavia, ao sonhar, percebo que cada sonho representa uma nova manhã.
Houve uma época, na aurora da minha vida, em que sonhava sonhos impossíveis. Não distantes. Impossíveis. Sonhava-os com a certeza de que seriam realizados. Houve uma época em que, inocentemente, imaginava ser viável um mundo sem maldades, uma vida sem dores, uma sociedade sem brigas, uma existência sem lágrimas. Corri atrás desses sonhos. Investi neles meu tempo, meu vigor, minhas forças, minhas convicções. Percorri os dias mágicos da infância, os anos turbulentos da adolescência, as décadas pesadas da idade adulta. Hoje, nos séculos filosofais da maturidade, percebo que toda a ciência que pude colecionar, e que é quase nada, embora seja imensa, não conseguiu esfacelar meus sonhos. É que agora, não tão inocentemente quanto antes, ainda sonho com aqueles dias cantados e encantados por Lennon em "Imagine". Fico pensando se o encanto irá se quebrar na velhice. Creio que não. Creio, mesmo, que a velhice jamais chegará, pois é essa tola e bendita insistência em sonhar sonhos impossíveis que me faz prosseguir como uma criança, que trota numa vassoura acreditando ser o heróico cavaleiro do conto de fadas. Prefiro acreditar, então, que são sonhos distantes, porque, enquanto pensar assim, continuarei a persegui-los e a investir meu tempo, meu vigor, minhas forças, minhas convicções.
E como esse tipo de sonho parece não ser coisa de pessoas maduras, é minha infância que não acabou. É minha vida que, embora tenha andado a largos passos, continua no princípio. É a sábia conveniência da certeza de que o sol irá se pôr um dia, mas a aurora da vida deverá durar por toda a existência...

Oldney Lopes

Um comentário:

Neide disse...

Que continuemos a ser criança e a sonhar. Quando deixamos de sonhar,estamos abrindo mão de algo que almejamos.Permita que seus sonhos fluem.Quem sabe poderão se concretizar.
Tudo de bom!!!!

Oldney Lopes - Poeta

Minha foto
Mineiro, poeta, economiário, graduado em Letras, psicopedagogo, orientador de finanças pessoais.
Visite meu site: www.oldney.net